Volta para o Início
19-nov-2020 às 11:54

UM MINUTO DE PSICOLOGIA- ASSÉDIO MORAL

Por Maria Thereza Bond* Provavelmente você já deve ter passado algum momento constrangedor no ambiente de trabalho, seja com seu gestor ou com algum colega, não é? Às vezes uma brincadeira sem graça, um comentário maldoso ou um “puxão de orelha” perto de todos. Mas, o assédio moral é muito mais do que isso! São […]

Por Maria Thereza Bond*


Provavelmente você já deve ter passado algum momento constrangedor no ambiente de trabalho, seja com seu gestor ou com algum colega, não é? Às vezes uma brincadeira sem graça, um comentário maldoso ou um “puxão de orelha” perto de todos.

Mas, o assédio moral é muito mais do que isso! São atitudes e palavras de alguém em relação a você que vão aos poucos (às vezes você nem percebe) te diminuindo como profissional ou como pessoa. É algo extremamente perverso que interfere diretamente na sua autoestima.


O assédio moral ocorre aos poucos e por um longo tempo (até que você adoeça). Por vezes, são simples avisos que “esquecem” de lhe dar, são reuniões que “esquecem” de te convidar, são tarefas que não te pedem mais, são comentários com “indiretas” para você. Nada é muito claro, mas ele está ali, presente, todos os dias.


Por isso que muitas vezes o assédio não é totalmente reconhecido, só é sentido através da depressão e síndrome do pânico, principalmente. E o pior: quem recebe o assédio é quem se acha fraco e incompetente!
Vai a dica: se valorize enquanto pessoa e profissional e fique atento (a) a situações que te façam desacreditar de si mesmo! 


E para que você não seja o assediador: reveja sempre as suas relações com seus colegas ou subordinados!

 *Maria Thereza Bond é psicóloga e coordenadora do Núcleo de Empregabilidade da Inspirar.