13-maio-2015 às 18:22

    CONSCIENTIZAÇÃO DO ASSOALHO PÉLVICO EM ACADÊMICAS DE FISIOTERAPIA COM CONSTIPAÇÃO INTESTINAL DE UMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR – RECIFE/PE

    A Constipação Intestinal (CI) apresenta sinais e sintomas como: evacuação menor que três vezes por semana, grande esforço e/ou dor ao eliminar as fezes, levando a importante comprometimento na qualidade de vida (QV). O estudo objetivou avaliar a influência da conscientização perineal do assoalho pélvico em acadêmicas de fisioterapia com CI. Estudo do tipo corte transversal, realizado de abril a junho de 2013.

    (mais…)

    Deixe um comentário

      15-jan-2015 às 17:19

      FISIOTERAPIA NA ESCOLA: AVALIAÇÃO POSTURAL EM CRIANÇAS DE 6 A 11 ANOS.

      PHYSICAL THERAPY AT SCHOOL: POSTURAL EVALUATION IN 6 TO 11 YEARS OLD CHILDREN.

      Gabriele Klüsener¹; Daniela Veber Gularte Porto² 

      Introdução: A idade é um fator importante na morfologia da coluna vertebral, sendo a fase escolar um período marcado por alterações repentinas e desordenadas do corpo, as quais podem facilitar o aparecimento ou acentuar os desvios na postura. Objetivos: Avaliar a postura de crianças de 6 a 11 anos de uma escola particular do município de Cachoeira do Sul- RS, identificando a prevalência das alterações que necessitam de intervenção precoce.
      (mais…)

      Deixe um comentário

        24-out-2014 às 18:41

        Terapia de Contenção Induzida em Paciente Portador de Paralisia Cerebral: Estudo de Caso

        Ana Cláudia de Souza¹, Dayanne Alavarces Fogaça¹, Caio Roberto Ap. de P. Castro¹, Luziane Maria Costa Silvestre¹, Rafael Quintilhano Stella¹ , Rafael Dalle Molle da Costa²

        Introdução: A Terapia de Contenção Induzida (TCI) funciona como uma forma de tratamento para pacientes com paralisia cerebral (PC) hemiparéticos, onde o membro é contido através de uma luva e realização de exercícios específicos para o membro superior acometido (MSA).

        Objetivo: Aplicar a TCI e analisar, por meio da escala Motor Activity Log (MAL), o impacto deste tipo de terapia sobre a quantidade (QT) e a qualidade dos movimentos (QL) do MSA.

        Metodologia: Foi realizado um estudo de caso onde um paciente de 15 anos, sexo masculino e hemiparético à esquerda, como seqüela de PC, foi submetido à TCI durante 10 sessões de tratamento, numa freqüência de três vezes por semana. A escala MAL foi aplicada diariamente no pré e pós-tratamento, e os resultados registrados numa escala de zero a cinco pontos. O protocolo da TCI consistiu de esclarecimentos sobre a estratégia terapêutica, contrato de comprometimento e orientação sobre o uso da luva de contenção e as atividades domiciliares, no primeiro dia. A partir de então, o treinamento motor incluiu exercícios supervisionados para prática de tarefas supervisionadas e atividades baseadas nos testes integrantes da MAL, ou “shaping procedures” com graus progressivos de dificuldades. Foram avaliados parâmetros como tempo e forma de execução da atividade, sendo posteriormente comparados os resultados entre o primeiro e último dia de terapia, e de cada dia de tratamento.

        Resultados: As médias iniciais da MAL para QT foi de 1,3 e 0,9 para QL, enquanto foram registradas médias 5,0 tanto para QT e QL no último dia de tratamento.

        Conclusão: A aplicação da MAL mostrou que a TCI apresentou relevante impacto sobre a qualidade e quantidade do movimento no uso do MSA.

        Palavras-chave: Exercícios de shaping, paralisia cerebral, terapia de contenção.

        Deixe um comentário