12-abr-2016 às 18:05

    HIDROCINESIOTERAPIA NA DOR E NA QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS PORTADORES DE FIBROMIALGIA

    A fibromialgia é uma doença crônica e sistêmica, caracte- rizada por dor musculoesquelética difusa e que interfere nega- tivamente na qualidade de vida e nas atividades de vida diária dos indivíduos acometidos.

    Hydrokinesiotherapy in the pain and quality of life in fibromyalgia indivi- duals
    Matheus Santos Gomes Jorge1, Rafaela Simon Myra2, Caroline de Macedo Schnornberger3, Cláudia Ranzi3, Lia Mara Wibelinger4
    RESUMO
    A fibromialgia é uma doença crônica e sistêmica, caracte- rizada por dor musculoesquelética difusa e que interfere nega- tivamente na qualidade de vida e nas atividades de vida diária dos indivíduos acometidos. O objetivo deste estudo foi verificar a dor e a qualidade de vida pré e pós protocolo de hidrocine- sioterapia em mulheres com fibromialgia. Estudo longitudinal e intervencionista que incluiu seis mulheres com fibromialgia com idade média de +-49,83 anos que realizaram atendimento na Clínica de Fisioterapia da Universidade de Passo Fundo. Os indivíduos realizaram avaliação pré e pós intervenção através do questionário de Qualidade de Vida (QV) SF-36, Questio- nário de Impacto de Fibromialgia (QIF) e de Dor Br-MPQ. Foram realizadas 10 sessões de hidrocinesioterapia, 02 vezes por semana, durante 02 meses e cada sessão era composta por alongamento dos principais grupos musculares, exercícios de fortalecimento, condicionamento cardiorrespiratório, equilíbrio e propriocepção e relaxamento. Perante o cálculo da QV, o as- pecto “dor” foi o que mais apresentou melhora. Na avaliação da QIF nota-se declínio considerável do impacto da doença, so- bretudo na capacidade ao trabalho, ansiedade, fadiga e sensação de bem-estar. Avaliando a dor através do questionário de dor Br-MPQ, os itens de atividade de vida diária e tolerância a dor foram os que apresentaram melhores resultados. O programa de intervenção de fisioterapia proposto auxiliou na diminuição dor e na melhora a QV de indivíduos portadores de fibromialgia.
    Palavras-Chave: fibromialgia, dor, qualidade de vida, hidroterapia.
    ABSTRACT
    Fibromyalgia is a chronic and systemic disease, characte- rized by diffuse musculoskeletal pain that impairs in quality of life and daily activities of affected individuals. The aim of this study is to assess the pain and quality of life pre and post phy- siotherapy protocol in women with fibromyalgia. This is a lon- gitudinal and interventional study, participated in the study six women with fibromyalgia, aged 44 to 57 years who underwent a out patient care in Physiotherapy Clinic of the University of Passo Fundo. The individuals performed an evaluation pre and post intervention through the questionnaire SF-36 Quality of Life (QoL), Fibromyalgia Impact Questionnaire (FIQ) and Br-MPQ pain. 10 sessions of hydrokinesiotherapy, in 02 days a week, during 02 months were conducted. Each session con- sisted of elongation of the major muscle groups, strengthening exercises, cardiopulmonary fitness, balance and proprioception, and relaxation. On the application of QoL, the aspect “pain” was what showed better improvement. In assessing the FIQ notice a considerable decline in the impact of the disease, especially in the ability to work, anxiety, fatigue and sense of well-being. Evaluating pain by the Br-MPQ pain questionnaire, items of daily life activity and pain tolerance showed the best results. The hydrokinesiotherapy helps combat pain and improves quality of life in fibromyalgia individuals.
    Keywords: Fibromyalgia. Pain. Quality of life. Hydro- therapy.

    SOBRE O AUTOR
    1. Acadêmico do Curso de Fisioterapia da Universidade de Passo Fundo – Bolsista Probic/FAPERGS. Passo Fundo, RS, Brasil. 2. Acadêmica do Curso de Fisioterapia da Universidade de Passo Fundo – Bolsista Pibic/CNPQ. Passo Fundo, RS, Brasil. 3. Acadêmicas do Curso de Fisioterapia da Universidade de Passo Fundo. Passo Fundo, RS, Brasil. 4. Doutora em Geriatria e Gerontologia (PUC – RS), Docente do curso de Fisioterapia da Universidade de Passo Fundo. Passo Fundo, RS, Brasil.
    AUTOR CORRESPONDENTE
    Matheus Santos Gomes Jorge Rua Padre Jimenes, 17, Ipiranga, 99300-000. Soledade/RS. Fone: (54)99711307. E-mail: [email protected]

    Deixe um comentário

      12-abr-2016 às 17:32

      AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA EM MULHERES COM SINTOMAS DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA DE ESFORÇO PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA

      A Incontinência Urinaria (IU) é definida pela International Continence Society como qualquer perda involuntária de urina. Dentre os tipos mais comuns, destaca-se a Incontinência Urinária de Esforço (IUE), definida como a perda involuntária de urina pela uretra durante o esforço físico, tosse ou espirro, na ausência da contração do músculo detrusor.

      Evaluation of quality of life in women with stress urinary incontinence symptoms of practicing physical activity
      Patricia Pereira Naves1, Rubens Vinicius Letieri2, Isabela Scali Lourenço Simon3, Saulo Nani Leite3, Miriangrei Letieri3
      RESUMO
      Introdução: A Incontinência Urinaria (IU) é definida pela International Continence Society como qualquer perda involuntária de urina. Dentre os tipos mais comuns, destaca-se a Incontinência Urinária de Esforço (IUE), definida como a perda involuntária de urina pela uretra durante o esforço físico, tosse ou espirro, na ausência da contração do músculo detrusor. Objetivo: Identificar os sintomas da incontinência urinária de esforço em mulheres praticantes de atividade física, e a qualida- de de vida das mesmas. Metodologia: Foram entrevistadas 42 mulheres matriculadas em academia de ginástica por meio de um questionário de identificação dos sintomas da IUE, o qual selecionou 12 mulheres com queixas urinárias e avaliado a qua- lidade de vida destas por meio do King’s Health Questionnaire (KHQ). Resultados: Estas apresentaram idade média de 33,41 ± 2,39 e o tipo de parto predominante foi a cesárea (57,14%). Das participantes com queixas urinárias, 41,68% praticavam Musculação e Jump e apresentaram média de qualidade de vida de 17,3 pontos. As praticantes de Jump e Caminhada (8,33%) demonstraram a pior qualidade de vida com pontuação de 44,3. De acordo com a média dos domínios KHQ, o Impacto da In- continência (36,08 ± 9,08), Sono e Disposição (40,27 ± 6,55) e Medidas de Gravidade (39,44 ± 5,87) foram os domínios mais afetados na vida destas. Conclusão: O presente estudo sugere que mulheres praticantes de atividade física, podem apresentar queixas de sintomas urinários. As atividades de impacto é um fator de risco importante para o desenvolvimento da IUE, o que pode influenciar de forma negativa a qualidade de vida destas mulheres.
      Palavras-Chave: Incontinência Urinária, Atividade Físi- ca, Qualidade de Vida.
      ABSTRACT
      Introduction: The Urinary Incontinence (UI) is defined by the International Continence Society as any involuntary leakage of urine. Among the most common types, there is the Stress Urinary Incontinence (SUI), defined as the involuntary loss of urine through the urethra during physical exertion, coughing or sneezing, in the absence of detrusor muscle contraction. Objective: To identify the symptoms of stress urinary incon- tinence in women engaged in physical activity, and quality of life for them. Methodology: We interviewed 42 women enrolled in gym through a questionnaire to identify the symptoms of SUI, which selected 12 women with urinary complaints and assessed the quality of life of these through the King’s Health Questionnaire (KHQ). Results: They had a mean age of 33.41 ± 2.39 and the predominant mode of delivery was cesarean section (57.14%). Of the participants with urinary complaints, 41.68% were –strength and Jump training practitioners and had a mean of quality of life of 17.3 points. The Walking and Jump training practitioners (8.33%) showed the worst quality of life score (44.3). According to the average of KHQ domains, the Incontinence Impact (36.08 ± 9.08), and Sleeping Arrangement (40.27 ± 6.55) and Measures of Severity (39.44 ± 5.87) were areas most affected the lives of these. Conclusion: The present study suggests that physically active women may complain of urinary symptoms. Activities with high impact is an important risk factor for the development of SUI, which can negatively influence the quality of life of these women.
      Keywords: Urinary Incontinence, Physical Activity, Quality of Life.

      SOBRE O AUTOR
      1. Fisioterapeuta pelo Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé, Guaxupé, Minas Gerais, Brasil.

      2. Docente do curso de Educação Física da Faculdade Católica Rainha do Sertão, Quixadá, Ceará, Brasil.

      3. Docente do curso de Fisioterapia do Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé, Guaxupé, Minas Gerais, Brasil.
      AUTOR CORRESPONDENTE
      Miriangrei Letieri3, [email protected], Rua Corumbá, 179 – Jardim dos Estados CEP: 37.701- 100 -, Poços de Caldas, M.G., telefone: (35)8404-3367.

      ________________________________________________________________________________________
      [su_button url=”https://inspirar.com.br/wp-content/uploads/2016/04/artigo2_ed37_jan-fev-mar-2016.pdf” target=”blank” icon=”icon: file-pdf-o”]Fazer download em PDF do artigo completo![/su_button]

      Deixe um comentário