Você esta em:
0800 602 2828 | WhatsApp (41) 99900-5734
    15-fev-2018 às 08:54

    REPRODUTIBILIDADE INTER E INTRA-AVALIADOR DO MÉTODO COBB COM DIFERENTES NÍVEIS VERTEBRAIS DE REFERÊNCIA NA MEDIÇÃO DA CIFOSE TORÁCICA EM CRIANÇAS

    [addtoany]

    O método de Cobb é o padrão ouro para as medições angulares da coluna vertebral, mas está sujeito à variabilidade inerente ao exame e ao avaliador.

    Inter and intra evaluator reproducibility of the Cobb method with different vertebral levels for reference in measurement of the thoracic kyphosis of children

    Juliana Adami Sedrez1, Fernanda da Silva Medeiros1, Bábara Vendramini Marchetti1, Eduardo Gonçalves Raupp1, Cláudia Tarragô Candotti1

    RESUMO

    O método de Cobb é o padrão ouro para as medições angulares da coluna vertebral, mas está sujeito à variabilidade inerente ao exame e ao avaliador. Além disso, ainda é escasso o conhecimento sobre a sua variabilidade na população infantil. O objetivo deste estudo foi avaliar a repetibilidade e a reprodutibilidade inter e intra-avaliador do método Cobb na avaliação da cifose torácica em crianças, utilizando diferentes níveis vertebrais de referência. Exames radiológicos digitais de 50 crianças foram avaliados de forma independente por três avaliadores experientes, que realizaram três avaliações, duas sucessivas e uma com uma semana de intervalo. Os ângulos de cifose torácica foram obtidos utilizando dois níveis vertebrais superiores (T1 e T4) e T12 como limite inferior. Foi utilizado o Coeficiente de Correlação Intraclasse, a média absoluta das diferenças (MAD), a mínima mudança detectável e o erro padrão da medição (α<0,05). Obteve-se correlação boa e significativa para repetibilidade independentemente do nível vertebral; correlação significativa variando de moderada a boa para reprodutibilidade intra-avaliador, com MAD, em sua maioria, próximas aos 5º. Para reprodutibilidade interavaliador obtiveram-se correlações de pobres a moderadas, com MAD superior a 5º independentemente do nível avaliado. O método de Cobb apresentou resultados adequados de reprodutibilidade intra-avaliador, independentemente do nível vertebral utilizado. No entanto, tendo em vista as correlações pobres a moderadas e os maiores erros para a reprodutibilidade interavaliador, sugere-se que, preferencialmente, as medidas de acompanhamento sejam realizadas por um mesmo avaliador e que a metodologia empregada seja mantida constante entre os exames.

    Palavras-chave: Cifose, crianças, postura, raios X.

    ABSTRACT

    The Cobb method is the gold standard for angular measurements of the spine, but is subject to the inherent variability of the exam and the evaluator. Moreover, it is still little knowledge about the variability in children population. The objective of this study was to verify the repeatability and the inter and intra observer reproducibility of the Cobb method in the evaluation of the thoracic kyphosis in children using different vertebral levels for reference. Digital radiological exams of 50 children were independently evaluated by three experienced evaluators, who made three evaluations, two successively and one with a week apart. The thoracic kyphosis angles were obtained by using two upper vertebral levels (T1 and T4) and using T12 as the lower limit. It was used the Intraclass Correlation Coefficient, the mean absolute difference (MAD), the standard error of measurement and the minimal detectable change (α<0,05). It was obtained good and significant correlation for repeatability independently of the vertebral level; significant correlation ranging from moderate to good for intra-rater reproducibility with MAD close to 5º. For inter reproducibility was obtained poor to moderate correlations, but the MAD was higher than 5º regardless of the assessed level. The Cobb method showed adequate results intra-rater reproducibility regardless of the vertebral level used. However, in view of the poor to moderate correlations and the increased errors for inter-rater reproducibility, it is suggested that, preferably, the accompanying measures be performed by the same evaluator and that the methodology employed be sustained between the examinations.

    Key-words: Kyphosis, child, posture, x-rays.

    SOBRE OS AUTORES

    Juliana Adami Sedrez1, Fernanda da Silva Medeiros1, Bábara Vendramini Marchetti1, Eduardo Gonçalves Raupp1, Cláudia Tarragô Candotti1

    Autor correspondente:

    Juliana Adami Sedrez
    Endereço: Av. Domingos de Almeida, 2187. Bairro Areal – Pelotas/RS.
    CEP: 96085-470
    E-mail: [email protected]

     

    Deixe um comentário