Volta para o Início
    16-out-2019 às 16:11

    RELAÇÃO DO ESTRESSE PERCEBIDO COM A QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS FISICAMENTE ATIVOS

    RESUMO

    O objetivo foi correlacionar os níveis de estresse percebido com a qualidade de vida de idosos fisicamente ativos. Trata-se de um de abordagem quantitativa, observacional e transversal realizada com 79 idosos de ambos os sexos, usuários das Academias da Terceira Idade. Foi aplicado um questionário sócio demográfico, Escala de Estresse Percebido, o WHOQOL- BREF e o WHOQOL-OLD para avaliar a qualidade de vida. A análise dos dados foi realizada por meio do Software SPSS 22.0. Foi utilizado o teste Kolmogorov-Smirnov, “U” de Mann-Whitney e Qui-quadrado de Pearson (X2). Considerou-se um nível de significância de p < 0,05. Não houve diferença significativa (p > 0,05) no nível de atividade física com a percepção de qualidade de vida e estresse em idosos. Foram encontradas correlações significativas do estresse percebido (p < 0,05) com os domínios Físico (r = -0,56); Psicológico (r = -0,43); Relações sociais (r = -0,31); Meio ambiente (r = -0,48); Auto avaliação (r = -0,47); e facetas: Autonomia (r = -0,45); Atividades passadas, presentes e futuras (r = -0,42); Participação pessoal (r = -0,34); e Intimidade (r = -0,28). Conclui-se que níveis mais altos de estresse, podem influenciar negativamente na qualidade de vida de idosos.

    Palavras-Chave: Comportamento. Envelhecimento. Gerontologia. Atividade motora.

     

    ABSTRACT

    The aim was to correlate stress levels perceived the quality of life of older adults. Treat yourself to a study it is a quantitative, observational and transversal approach conducted with 79 older adults of both sexes, the Third Academies users. A sociodemographic questionnaire, the WHOQOL-OLD and WHOQOL-BREF to assess the quality of life and the stress questionnaire was applied. Data analysis was performed using SPSS 22.0 software. We used the Kolmogorov-Smirnov test, Median, quartiles, “U” test of Mann-Whitney and Chi-square test (X2). Considered a p significance level of <0.05. There was no significant difference (p> 0.05) in physical activity level with the perception of quality of life and stress in the older adults. Significant correlations were found (p <0.05) with the following fields and facets: Physical (r = -0.56); Psychological (r = -0.43); social relations (r = -0.31); environment (r = -0.48); Self evaluation (r = -0.47); Autonomy (r = -0.45); Activities (r = -0.42); personal participation (r = -0.34); and Intimacy (r = -0.28). It is concluded that the level of physical activity is not an intervening factor in the perception of stress and quality of life in older adults. It is concluded that higher levels of stress can negatively influence the quality of life of the elderly.

    Keywords: Behavior. Aging. Gerontology. Motor activity.

    Sobre o Autor

    Daniel Vicentini de Oliveira1, Diéssica Silva2, Mateus Dias Antunes3, José Roberto Andrade do Nascimento Júnior4, Sônia Maria Marques Bertolini5, Cláudia Regina Cavaglieri6.

     

    1Departamento de Pós-graduação em Gerontologia. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil.

    2Departamento de Graduação em Educação física. Centro Universitário Unifamma (UNIFAMMA), Maringá, Paraná, Brasil.

    3Departamento de Pós-graduação em Promoção da saúde. Centro Universitário de Maringá (UNICESUMAR), Maringá, Paraná, Brasil.

    4Departamento de Pós-graduação em Educação física. Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina, Pernambuco, Brasil.

    5 Departamento de Pós-graduação em Promoção da saúde. Centro Universitário de Maringá (UNICESUMAR), Maringá, Paraná, Brasil.

    6Departamento de Pós-graduação em Gerontologia. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil.

     

    Autor correspondente:

    Daniel Vicentini de Oliveira

    Rua Tessália Vieira de Camargo, 126. Cidade Universitária Zeferino Vaz.

    CEP: 13083-160. Campinas, São Paulo, Brasil.

    [email protected]

    Deixe um comentário