Você esta em:
0800 602 2828 | WhatsApp (41) 99900-5734
    16-nov-2011 às 09:33

    Prevalência de Dor Musculoesquelética em Professores da Rede Pública de Ensino Médio de Tocantinópolis – TO

    [addtoany]

    Prevalence of Musculoskeletal Pain in Teachers from Public High School in the City of Tocantinópolis – TO

    Chrystiana Alvarenga Guerra1; Flávia Salgado Cavalcante2; Marco Antonio Basso Filho3; Thais Fernanda Augusto Valentim Pereira4; Thaís Fonseca Bandeira5

    RESUMO

    Objetivo: Descrever a prevalência de dor musculoesquelética em docentes da rede pública de ensino médio da cidade de Tocantinópolis – TO. Métodos: Realizou-se um estudo observacional transversal com 39 professores em que foi aplicado o questionário de dor de McGill-Melzack (adaptado para o estudo). Objetivo: Descrever a prevalência de dor musculoesquelética em docentes da rede pública de ensino médio da cidade de Tocantinópolis – TO. Métodos: Realizou-se um estudo observacional transversal com 39 professores em que foi aplicado o questionário de dor de McGill-Melzack (adaptado para o estudo). Para a análise estatística utilizou-se o Mann-Whitney Test e Correlação de Pearson, com significância estatística estabelecida em p≤0,05. Resultados: 56,4% dos professores eram do sexo feminino e 43,6% do sexo masculino, com faixa etária variando de 23 a 55 (X=35,74±8,85) anos e tempo médio de docência de 11, 67 anos. A região mais acometida por dor foi o tronco, presente em 71,0%, sendo que a carga horária semanal que maior parte dos docentes (53,8%) trabalha é de 40 horas. 79,5% dos professores apresentaram dor nos últimos 7 dias e o tempo de dor da maioria dos docentes foi de 3 a 8 anos. Conclusão: Existe uma grande prevalência de dor osteomuscular nos docentes estudados, no entanto não houve diferença estatisticamente significativa na correlação da dor musculoesquelética com as variáveis: idade, gênero, tempo de docência e carga horária.

    Palavras-chave: professores, dor, questionário de dor McGill-Melzack.

    ABSTRACT

    Objective: To describe the prevalence of musculoskeletal pain in teachers from public high school in the city of Tocantinópolis-TO. Methods: It was conducted a cross sectional observational study with 39 teachers in which was applied a McGill-Melzack pain questionnaire (adapted for the study). For the statistical analysis it was used the Mann-Whitney test and Pearson’s correlation, with statistical significance set at p ≤ 0.05. Results: 56.4% of teachers were female and 43.6% male, with ages ranging from 23 to 55 (X = 35.74 ± 8.85) years and mean time of teaching of 11, 67 years. The region most affected by pain was the trunk, present in 71.0%, and the weekly schedule that most teachers (53.8%) work is 40 hours. 79.5% of teachers presented pain in the last 7 days and the time of pain of most teachers was 3 to 8 years. Conclusion: There is a high prevalence of musculoskeletal pain in the studied teachers; however there was no statistically significant difference in the correlation of musculoskeletal pain with the variables: age, gender, teaching time and workload.

    Keywords: teachers, pain, McGill-Melzack pain questionnaire.

    SOBRE OS AUTORES

    1. Fisioterapeuta, Pós-graduada em Fisioterapia Traumato Ortopédica pelo CDCS-GO
    2. Fisioterapeuta, Pós-graduada em Fisioterapia Traumato Ortopédica pelo CDCS-GO
    3. Fisioterapeuta, Pós-graduado em Fisiologia do Exercício pela UVA-RJ
    4. Fisioterapeuta, Pós-graduada em Fisioterapia Traumato Ortopédica pelo CDCS-GO e Saúde Pública, Saúde da Família pelo IBEPEX- PR
    5. Fisioterapeuta, Pós-graduada em Fisioterapia Traumato Ortopédica pelo CDCS-GO

    Recebido: 09/2011
    Aceito: 10/2011
    Autor para correspondência: Thaís Fonseca Bandeira
    E-mail: [email protected]

    Deixe um comentário