03-dez-2018 às 16:42

    FENÓTIPO DE FRAGILIDADE EM IDOSOS USUÁRIOS DOS CENTROS DIA E INSTITUCIONALIZADOS

    [addtoany]
    Idosos frágeis necessitam de cuidados permanentes para prevenir a ocorrência de desfechos negativos tais como, quedas, hospitalizações e morte.

    Phenotype of frailty in older adults users of day center and institutionalized

    Thalita Michelle Minella Ribeiro1, Ananda Siqueira1, Áurea Gonçalves Ferreira2, José Roberto Andrade do Nascimento Júnior3, Maria do Carmo Correia de Lima2, Daniel Vicentini de Oliveira1,2.

     

    RESUMO

    Idosos frágeis necessitam de cuidados permanentes para prevenir a ocorrência de desfechos negativos tais como, quedas, hospitalizações e morte. O objetivo deste estudo foi investigar o fenótipo de fragilidade em idosos usuários dos centros dias e dos idosos institucionalizados. Pesquisa transversal, realizada com 32 idosos, sendo 20 institucionalizados e 12 usuários de centro dia. Os dados da fragilidade foram coletados por meio da aplicação do fenótipo de fragilidade, composto por cinco critérios mensuráveis (perda de peso não intencional, avaliação da força de pressão palmar, fadiga, a velocidade da marcha e a baixa atividade física). Foram considerados idosos frágeis os que pontuaram para três ou mais critérios, pré-frágeis os que pontuaram para um ou dois, e não frágeis os que não apresentaram nenhum dos componentes descritos. Para a análise dos dados, foi utilizado o teste de Shapiro-Wilk, Qui-quadrado, teste exato de Fisher, “U” de Mann-Whitney e o coeficiente de correlação de Spearman. A significância adotada foi de p < 0,05. Não foi encontrada diferença na pré fragilidade e fragilidade entre os grupos (p=0,697). Em nenhum dos locais avaliados foi encontrado idosos não frágeis. Os idosos avaliados como pré-frágeis caminham mais por dia (p=0,010) e por semana (p=0,031) em comparação aos idosos frágeis que, por sua vez, apresentam mais lentidão na velocidade da marcha (p=0,001). Conclui-se que não há diferença na pré fragilidade e fragilidade entre idosos institucionalizados e idosos usuários dos centros dia, assim como não há idosos não frágeis nestes locais.

    Palavras-chave: Atividade motora, Geriatria, Gerontologia.

    ABSTRACT

    Fragile elderly need permanent care to avoid the occurrence of negative defects, such as, falls, hospitalizations and death. This study aimed to investigate the fragility phenotype among users of the day centers and institutionalized elderly. This cross-sectional research was carried out with 32 elderly, being 20 institutionalized elderly and 12 users of the day centers. Fragility data was assessed by the application of the fragility phenotype, which is composed by five measurable criteria (unintentional weight loss, assessment of palmar pressure strength, fatigue, gait speed and low activity physical). It was considered fragile elderly who scored in three or more criteria, pre-fragile who scored in one or two criteria and non-fragile who presented none of the criteria. Data analysis was conducted through Shapiro-Wilk, Chi-square, Fisher’s exact test, Mann-Whitney and Spearman’s correlation (p<0,05). There was no significant difference in pre-fragility and fragility between the groups (p = 0.697).There was no non-fragile elderly in both groups (institutionalized and day centers). Pre-fragile elderly walk more minutes per day (p=0.010) and week (p=0.031) when compared to fragile elderly, which, in turn, showed slower gait speed (p=0.001). It was concluded that there was no difference between the pre-fragility and fragility among institutionalizedelderly and users of day centers as well as there was no non-fragile elderly in these sites.

    Keywords: Motor activity, Geriatric, Gerontology.

     

    SOBRE OS AUTORES

    1 Faculdade Metropolitana de Maringá (FAMMA), Maringá, Paraná, Brasil.
    2 Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil.
    3 Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina, Pernambuco, Brasil.

    Autor correspondente:

    Daniel Vicentini de Oliveira
    Rua Tessália Vieira de Camargo, 126, Cidade Universitária Zeferino Vaz.
    CEP: 13083-887. Campinas, São Paulo, Brasil
    [email protected]

    Deixe um comentário