Você esta em:
0800 602 2828 | WhatsApp (41) 99900-5734
    31-jul-2017 às 10:40

    EFICÁCIA DO KINESIO TAPING PARA ALÍVIO DA DOR LOMBAR EM GESTANTES: RELATO DE CASOS

    [addtoany]

    Durante a gestação o corpo da mulher sofre diversas alterações hormonais e biomecânicas. Várias destas alterações podem influenciar diretamente no aparecimento de disfunções musculoesqueléticas, sendo a lombalgia queixa mais frequente e preocupante, e que acaba se agravando nos últimos meses de gestação.¹ Estudo realizado por Santos et al (2010) observou uma prevalência de dor lombar em 73% das 45 gestantes estudadas2.

    Kinesio Taping effectiveness for relieving back pain in pregnant women: Case reports Short title: Kinesio Taping na dor lombar em gestantes

    Ana Carolina Rodrigues da Silva¹, Ana Carolina Godoy Miranda²

    RESUMO

    A lombalgia é uma queixa frequente entre as gestantes e o método Kinesio-taping  (KT) vem sendo utilizado para minimizar este incômodo. O objetivo foi verificar a eficácia da aplicação do KT no tratamento da lombalgia gestacional. Trata-se de um estudo de casos, onde foram incluídas duas gestantes com idade gestacional entre 26 e 32 semanas. As participantes foram submetidas a avaliação inicial e final e 5 sessões semanais de aplicação do KT. Foi utilizada a Escala Visual Análoga (EVA), Questionário de Incapacidade de Rolland Morris para avaliar a funcionalidade pela lombalgia, Diário da Dor e Escala de Satisfação com o tratamento. O KT foi colocado no sentido horizontal sobre a lombar baixa, seguindo os padrões da técnica de analgesia, não importando seu ponto de origem e inserção e sem tensão sobre a fita, onde eram orientadas a permanecer 3 dias com a bandagem. O tratamento teve duração entre abril a junho de 2015, a idade das participantes foi de 28 anos, a média da EVA no início do tratamento foi 7,2 ± 0,35 e ao final do tratamento 0,9 ± 1,3. Ambas pacientes tiveram diminuição no score do questionário (inicial 33 e final 14), assim como o diário da dor também apresentou diminuição da EVA. A Escala de Satisfação com o tratamento foi 7,5 e 8,5. Concluiu-se que houve redução importante na dor e no grau de incapacidade funcional pela lombalgia após o tratamento com o KT, se mostrando uma técnica benéfica para alívio da dor lombar em gestantes.

    Descritores: gestação, lombalgia, fisioterapia, bandagem  funcional.

    ABSTRACT

    Low back pain is a very common complaint among pregnant women and the Kinesio-taping method (KT) has been used to minimize this nuisance. The objective was to verify the effectiveness of the application of KT in the treatment of gestational lumbago. This is a case study where we included two pregnant women with gestational age between 26 and 32 weeks. Participants were subjected to initial and final evaluation and 5 weekly sessions of KT application. It used the visual analog scale (VAS), Rolland Morris Disability Questionnaire to evaluate the functionality for low back pain, Journal of Pain and Satisfaction Scale with treatment. KT was placed horizontally on the back low, following the standards of analgesia, regardless of their point of origin and insertion and without tension on the tape, where they were told to stay three days with a bandage. Treatment lasted from April to June 2015, the age of the participants was 28 years, the average VAS at baseline was 7.2 ± 0.35 and the end of treatment 0.9 ± 1.3. Both patients had decreased in the questionnaire score (starting 33 and ending 14), as well as the pain diary also showed decreased EVA. The Scale of Satisfaction with treatment was 7.5 and 8.5. It was concluded that there was a significant reduction in pain and degree of disability for low back pain after treatment with KT, showing a beneficial technique for relief of low back pain in pregnant women.

    Key words: pregnancy, low back pain, physical therapy, Functional bandage.

    SOBRE OS AUTORES

    1- Aluna do Curso de Graduação em Fisioterapia da Faculdade Anhanguera de Campinas – Unidade Taquaral, São Paulo, Brasil.

    2- Fisioterapeuta e Doutoranda pela Faculdade de Ciências Médicas – FCM – Departamento de Tocoginecologia – Unicamp

    Autor correspondente:

    Ana Carolina Rodrigues da Silva
    Avº Engenheiro Jorge Bierrembach de Castro nº75,
    Campinas-SP, Brasil.
    [email protected]

    Deixe um comentário