Você esta em:
0800 602 2828 | WhatsApp (41) 99900-5734
    25-ago-2016 às 10:23

    EFEITOS DO ORTOSTATISMO PASSIVO SOBRE VARIÁVEIS CARDIOPULMONARES EM PACIENTES VÍTIMAS DE TRAUMATISMO CRÂNIO-ENCEFÁLICO

    [addtoany]

    A imobilização prolongada dos pacientes no leito, provoca deficiências motoras graves e aumento do índice de morbimortalidade.

    Effects of passive standing position on cardiopulmonary variables in patients suffering from Traumatic Brain Injury

    Leandro Marques da Silva1, Francisco Maurílio da Silva Carrias1, Eduardo Araújo da Silva1, Thiene Jordana Borges e Silva², Paula Vanessa Araújo Silva3, Ricardo João Soares Barros4, Michelle Vicente Torres5

    RESUMO

    Introdução: A imobilização prolongada dos pacientes no leito, provoca deficiências motoras graves e aumento do índice de morbimortalidade. O ortostatismo por meio do uso da prancha ortostática, por sua vez, minimiza estes efeitos adversos da imobilização. Objetivo: Verificar os efeitos do ortostatismo passivo sobre as variáveis cardiopulmonares em pacientes vítimas de Traumatismo Crânio-Encefálico (TCE). Materiais e Método: Trata-se de um estudo descritivo, do tipo série de casos. No qual participaram seis pacientes com TCE, de ambos os gêneros, na faixa etária de 18 a 65 anos, em ventilação mecânica invasiva e capazes de tolerar o ortostatismo. Inicialmente posicionou-se os pacientes a 0º na prancha ortostática, e após 3 minutos, verificou-se as variáveis: pressão arterial média (PAM), freqüência cardíaca (FC), saturação periférica de oxigênio (SpO2), freqüência respiratória (FR) e volume corrente (VC). Em seguida, foram in¬clinados à 40° e, posteriormente, a 75°, e após três minutos foram verificadas as mesmas variáveis. Os pacientes permaneceram em cada angulação por 15 minutos. Resultados: Cinco pacientes (83,33%) eram do sexo masculino e um (16,67%) do sexo feminino, com média de idade de 39,0±4,72 anos. Verificou-se uma tendência à diminuição das variáveis PAM e FR, e um aumento da SpO2 após a utilização da prancha ortostática. Contudo, sem diferença estatística significativa. Em contrapartida, ao se analisar a FC observou-se um aumento significativo desta. Conclusão: Apesar do ortostatismo passivo, por meio do uso da prancha ortostática ter influenciado as variáveis cardiopulmonares, não causou instabilidade nestas. Evidenciando-se, assim, como uma estratégia de mobilidade precoce segura e viável no ambiente de cuidados intensivos.

    Palavras-Chave: Modalidades de Fisioterapia, Hemodinâmica, Traumatismos Craniocerebrais.

    ABSTRACT

    Introduction: Prolonged immobilization of patients in bed, causes severe motor disability and increased mortality rate. The standing position through the use of orthostatic board, in turn, minimizes these adverse effects of immobilization. Objective: To investigate the effects of passive standing position on cardiopulmonary variables in patients suffering from Traumatic Brain Injury (TBI). Materials and Methods: This is a descriptive study, the number of cases of type. In which six patients with TBI, of both genders, aged 18-65 years in mechanical ventilation and able to tolerate standing position. Initially patients to 0º in the standing board is positioned, and after 3 minutes, it was the variables: mean arterial pressure (MAP), heart rate (HR), peripheral oxygen saturation (SpO2), respiratory rate (RR) and tidal volume (VT). Then inclinados were at 40° and then 75° after three minutes and the same parameters were checked. Patients remained in each angle for 15 minutes. Results: Five patients (83.33%) were male and one (16.67%) were female, with a mean age of 39.0 ± 4.72 years. There was a trend towards lower variable WFP and FR, and an increase in SpO2 after using the orthostatic board. However, no statistically significant difference. On the other hand, when analyzing the FC there was a significant increase in this. Conclusion: Despite the passive orthostatic through the use of orthostatic board have influenced the cardiopulmonary variables did not cause instability in these. It is demonstrating, as well as an early mobility strategy safe and feasible in the intensive care setting.

    Keywords: Physical Therapy Modalities, Hemodynamics, Craniocerebral Trauma

    SOBRE OS AUTORES

    1. Fisioterapeuta, Graduado na Universidade Estadual do Piauí- UESPI, Teresina (PI), Brasil.
    2. Fisioterapeuta, Graduada na Universidade CEUMA, São Luís (MA), Brasil.
    3. Fisioterapeuta, Graduada na Faculdade Santa Agostinho- FSA, Teresina (PI), Brasil.
    4. Fisioterapeuta, especialista em Fisioterapia Intensiva pela Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva- SOBRAFIR,Teresina (PI), Brasil.
    5. Fisioterapeuta, Mestre em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo- USP,docente da Universidade Estadual do Piauí- UESPI, Teresina (PI), Brasil.

    AUTOR CORRESPONDENTE

    Leandro Marques da Silva.

    Rua Duque Bacelar, SN, Bairro Quintas do Calhau, CEP: 65072-023, São Luís–MA, Brasil.

    E-mail: [email protected], Telefone: (86) 99434-3452

    Deixe um comentário