Você esta em:
0800 602 2828 | WhatsApp (41) 99900-5734
    04-maio-2017 às 13:31

    EFEITOS DA DESSATURAÇÃO DE OXIGÊNIO NO EQUILÍBRIO ESTÁTICO DE PORTADORES DE OBSTRUÇÃO CRÔNICA AO FLUXO AÉREO

    [addtoany]

    Pacientes com DPOC podem apresentar dessaturação ao exercício: Assim o objetivo desta pesquisa foi avaliar os efeitos da dessaturação de oxigênio no equilíbrio de pacientes com DPOC.

    Oxygen dessaturation effects on the static balance of patients whit chronic obstruction airflow

    Marília Tadayeski Peyres1, Fabiana Sera Kim3, Andressa Mayra Lima1, Valdirene Tenorio da Costa Alegria2,3; Roberta Munhoz Manzano4; Alexandre Ricardo Pepe Ambrozin1,3

    RESUMO

    A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é caracterizada por limitação ao fluxo aéreo, que pode levar a alterações musculoesqueléticas e por esta última alteração no equilíbrio. Pacientes com DPOC podem apresentar dessaturação ao exercício: Assim o objetivo desta pesquisa foi avaliar os efeitos da dessaturação de oxigênio no equilíbrio de pacientes com DPOC. Foram avaliados 6 sujeitos (3 homens e 3 mulheres) com 64,83±7,73 anos de idade e diagnóstico clinico e funcional de DPOC. Todos os sujeitos foram submetidos a anamnese, espirometria, Teste de Caminhada de 6 Minutos (TC6), Incremental Shuttle Walking Test e Teste de Escada (TEsc) a fim de detectar possíveis dessaturações. Aqueles que dessaturaram foram então submetidos ao Teste Ergométrico em esteira e Avaliação do Equilíbrio Estático em plataforma de força. A saturação de oxigênio antes e após os testes de esforço foi comparada utilizando o Teste t pareado e as medidas de equilíbrios antes e depois da dessaturação pelo Teste de Friedman para medidas repetidas (p<0,05). Os sujeitos avaliados apresentaram função pulmonar compatível com obstrução ao fluxo aéreo (Volume Expiratório Forçado no primeiro segundo – VEF1 75,16±32,91% e relação VEF1/CVF 64,67±6,42%) e dessaturação em todos os testes de campo exceto no Teste de Caminhada de 6 minutos. As variáveis obtidas na plataforma de força não apresentaram diferença significativa nos momentos do estudo. Assim, conclui-se que não houve alteração do equilíbrio em pacientes com dessaturação após teste de esforço.

    Palavras chaves: Saturação de Oxigênio, Equilíbrio Postural; Teste de Esforço; Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.

    ABSTRACT

    The Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) is characterized by an airflow limitation, which can cause musculoskeletal and exercise dessaturation, this factors can contribute for the alterations in the balance. So the aim of this research was to evaluate the oxygen desaturation effects on balance in patients with COPD. Was evaluated 6 subjects (3 menand 3 women) with 64,83±7,73 years old and clinical and functional diagnosis of COPD. All the subjects were submitted to anamnesis, spirometry, 6 minutes walk test (6MWT), Incremental Shuttle Walking Test (ISWT) and Stairs Climbing Test (SCT) with the purpose to detect possible dessaturations. The patients that desaturated were submitted to an Ergometric Test on the treadmill and Static Balance Evaluationon a strength platform. The oxygen saturation before and after the exercise test was compared using the paired t Test and the measures of balance before and after the desaturation were analyzed by Friedman’s Test to repeated measures (p>0,05). The evaluated subject presented pulmonary function compatible with airflow obstruction (Forced Expiratory Volume on the first minute – FEV1 75,16±32,91% and the relation FEV1/FVC 64,67±6,42%) and desaturation in all field tests, except the 6MWT. The variables obtained on the strength platform do not show significant difference in the moments of this study. Thus, we concluded that there was no balance alteration in patients with desaturation after stress test.

    Key words: Oxygen saturaration; Postural Balance; Exercise Test; Pulmonary Disease Chronic Obstructive.

    SOBRE OS AUTORES

    1 – Curso de Fisioterapia – Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” – Unesp – Campus Marília – São Paulo – Brasil.
    2 – Fisioterapeuta do Hospital das Clinicas e Santa Casa – Marília – São Paulo Brasil.
    3 – Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Humano e Novas tecnologias – Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” – Unesp – Campus Rio Claro – São Paulo – Brasil.
    4 – Curso de Fisioterapia – Faculdades Integradas de Bauru – FIB – Bauru – São Paulo – Brasil.

    Autor Correspondente

    Alexandre Ricardo Pepe Ambrozin
    Av. HyginoMuzzi Filho, 737; Bairro: Mirante
    CEP 17.525-000 – Marília, SP
    E-mail: [email protected]

    Deixe um comentário