15-jul-2014 às 12:47

    DOR CRÔNICA: PERFIL CLÍNICO-FUNCIONAL DE INDIVÍDUOS ATENDIDOS EM UM HOSPITAL PÚBLICO NA CIDADE DE RECIFE – PE

    [addtoany]

    Chronic pain: clinical functional profile of individuals treated in a public Hospital in the city of Recife – PE

     

    Andrezza Pimentel de Santana1, Érica Patrícia Borba Lira Uchôa 2, Carla Raquel de Melo Daher3, Valéria Conceição Passos de Carvalho4.

     

    A dor é definida como uma experiência sensorial e emocional desagradável associada a um dano real ou potencial dos tecidos, ou descrita em termos de tais lesões. A dor crônica é aquela persistente por mais de seis meses e interfere diretamente nas atividades de vida diária.

    RESUMO

    Contextualização: A dor é definida como uma experiência sensorial e emocional desagradável associada a um dano real ou potencial dos tecidos, ou descrita em termos de tais lesões. A dor crônica é aquela persistente por mais de seis meses e interfere diretamente nas atividades de vida diária. Objetivo: Identificar o perfil clínico-epidemiológico da dor crônica na coluna vertebral e seu impacto nas atividades de vida diária. Métodos: Estudo do tipo corte transversal, descritivo e analítico, realizado no período de julho a setembro de 2009, no ambulatório de fisioterapia de um hospital público da cidade de Recife, com 30 voluntários. Para coleta de dados foi utilizado uma ficha de entrevista, a Escala Visual Analógica de dor e o Questionário de dor BR-MPQ. Posteriormente os dados foram analisados estatisticamente. Resultados: A maioria dos entrevistados com dor crônica era do sexo feminino e referiam tempo de dor há mais de cinco anos, com predominância na região lombar (p-valor de 0,431). No entanto, não realizavam pausas no trabalho, referindo intensidade de dor forte (p-valor de 0,097). Já nas atividades diárias o vestir-se afeta mais ou menos e a locomoção afeta sempre (36,7%). Conclusão: A presente pesquisa revela uma forte incidência de mulheres a desenvolverem dor crônica, com uma faixa etária de vida economicamente ativa, contribuindo para seu aparecimento. Sugere-se assim, a realização de mais estudos acerca das atividades de vida diária de pacientes com dor crônica com uma amostra maior, para elucidar melhor a relação entre os fatores de risco e os dados sócio-demográficos.

    Palavras-chave: dor crônica, coluna vertebral, atividade de vida diária.

    ABSTRACT

    Background: Pain is defined as an unpleasant sensory and emotional experience associated damage or actual potential tissue, or described in terms of such damage. Chronic pain that is persistent for more than six months and directly interferes in the activities of daily living. Objective: Identify the clinical-epidemiological profile of chronic pain in the spine and its impact on daily life activities. Methods: A cross-sectional descriptive and analytical sectional study was conducted in the period from July to September of 2009, in the outpatient physical therapy of a public hospital in the city of Recife, with 30 volunteers. For the collection of data was used a connector of interview, the Visual Analog Scale for pain and the Pain Questionnaire BR-MPQ. Subsequently, data were statistically analyzed. Results: The majority of respondents with chronic pain was female and reported time of pain for more than five years, with a predominance in the lumbar region (p-value of 0.431). However, did not work breaks, referring pain intensity strong (p-value of 0.097). Already in daily activities the dressing affects more or less and the locomotion affects always (36.7%). Conclusion: The present study reveals a high incidence of women to develop chronic pain, with an age range of life economically active, contributing to its onset. It therefore suggests, further studies on the activities of daily life of patients with chronic pain with a larger sample, to elucidate the relationship between the risk factors and socio-demographic data.

     Key words:  chronic pain, spine, activity of daily living.

    Recebido: 03/2014
    Aceito: 06/2014

    Sobre o autor:

    1 Docente no curso de Estética e Cosmética da Faculdade Integrada de Pernambuco. Recife- PE- Brasil.
    2 Docente no curso de Graduação e Pós-Graduação em Fisioterapia da Universidade Católica de Pernambuco. Recife- PE- Brasil.
    3 Docente no curso de Graduação em Fisioterapia da Faculdade Metropolitana. Recife- PE- Brasil.
    4 Docente no curso de Graduação e Pós-Graduação em Fisioterapia da Universidade Católica de Pernambuco. Recife- PE- Brasil.

    Autores para correspondência:

    Andrezza Pimentel de Santana

    Avenida Manoel Borba, 1000, apto: 1701, Boa Vista, Recife – PE – Brasil.
    E-mail: [email protected]

    Érica Patrícia Borba Lira Uchôa

    Rua Real da Torre, 1507- apt 1101 – Bloco A – Torre, Recife – PE – Brasil.
    E-mail: [email protected]

    Carla Raquel de Melo Daher

    Osvaldo Guimarães, 111, Iputinga, Recife – PE – Brasil.
    E-mail: [email protected]

    Valéria Conceição Passos de Carvalho

    Rua Guedes Pereira, 77, apt 401, Casa Amarela, Recife – PE – Brasil.
    E-mail: [email protected] 

    Deixe um comentário