Você esta em:
0800 602 2828 | WhatsApp (41) 99900-5734
    29-abr-2013 às 16:09

    BENEFÍCIOS DA REABILITAÇÃO CARDÍACA AMBULATORIAL EM PACIENTES PÓS-INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

    [addtoany]

    Benefit of cardiac rehabilitation in ambulatory patients after acute myocardial infarction

    Patricia Maia Botelho¹, Christiana Bárbara da Cruz Santos², Aline Silva Baldoino³

     

    A capacidade física e funcional são as principais causas de incapacidade em realizar as atividades laborais e pessoais, além de fatores psicológicos que influenciam em uma má qualidade de vida em pacientes pós-infarto agudo do miocárdio (IAM).


    Resumo

    A capacidade física e funcional são as principais causas de incapacidade em realizar as atividades laborais e pessoais, além de fatores psicológicos que influenciam em uma má qualidade de vida em pacientes pós-infarto agudo do miocárdio (IAM). Assim, um programa de Reabilitação Cardíaca Ambulatorial (RCA) abrange atividades com exercícios aeróbicos (EA) e resistidos (ER) proporcionando à reversão ou controle do sedentarismo. Essa revisão descreve os benefícios advindos da prática regular de exercício físico em pacientes cardiopatas. Utilizaram-se como descritores: reabilitação cardíaca, infarto agudo do miocárdio, exercício aeróbico e exercício resistido. 99 estudos foram encontrados, excluindo-se os de revisão, reabilitação hospitalar ou a outra doença cardiovascular e que estivesse fora do período proposto. 28 artigos foram utilizados para o desenvolvimento do estudo. Há comprovação cientifica que EA promove aumento do VO2 de pico, traduzindo-se em aumento da capacidade de suportar esforços prolongados, além de redução do colesterol total, LDL-colesterol e níveis séricos de glicose. Os EA de alta intensidade são considerados superiores quando comparados a exercícios de moderada. Os ER, inseridos recentemente em protocolos de RCA, foram capazes de incrementar o tempo de EA e aumento de força muscular dos membros inferiores, demonstrando melhora da capacidade física. Portanto, pacientes que realizam o EA e ER tendem a manter os benefícios alcançados durante a RCA por mais tempo. Visto que a capacidade de realizar exercícios associa-se como preditor de mortalidade, substancia-se a importância da inclusão de pacientes pós IAM em programas de RCA.

    Palavras-chavereabilitação cardíaca, infarto agudo do miocárdio, fisioterapia.

    Abstract

    The physical and functional capacity are the main causes of disability in performing work activities and personal, and psychological factors that influence in a poor quality of life in patients after acute myocardial infarction (AMI). Thus, a program of Outpatient Cardiac Rehabilitation (CAR) covers activities with aerobic exercise (AE) and resistance training (RT) for providing control or reversal of inactivity. This review describes the benefits derived from regular physical exercise in cardiac patients. It was used as descriptors: cardiac rehabilitation, acute myocardial infarction, aerobic exercise and resistance exercise. 99 studies were found, excluding the revision, rehabilitation hospital or other cardiovascular disease and who were outside the proposed period. Articles 28 were used to develop the study. There is scientific proof that EA promotes increased VO2 peak, translating into increased ability to withstand prolonged efforts, in addition to reducing total cholesterol, LDL-cholesterol and serum glucose levels. The high intensity EA are considered superior when compared to moderate exercise. The ER, recently entered into protocols RCA, were able to increase the time EA and increase muscle strength in the lower limbs, showing improved physical capacity. Therefore, patients undergoing EA and ER tend to maintain the benefits achieved during the RCA longer. Since exercise capacity is associated as a predictor of mortality, substantiates the importance of including patients after AMI in RCA programs.

    Keywordscardiac rehabilitation, acute myocardial infarction, physical therapy.

    Sobre o Autor:

    1 – Fisioterapeuta formada pelo Centro Universitário Jorge Amado, Salvador/BA

    2 – Fisioterapeuta formada pelo Centro Universitário Jorge Amado, Salvador/BA

    3 – Preceptora do Estágio em Cardiologia do Centro Universitário Jorge Amado, Salvador/BA

    Bruno Prata Martinez,

    Autor responsável pela correspondência:

    Patricia Maia Botelho

    Rua Augusto Lopes Pontes, n.455,
    Bairro Costa Azul, Salvador-BA. CEP: 41760-035

    E-mail: [email protected]

    Recebido: 01/13
    Aceito: 04/13

     

    Deixe um comentário