10-abr-2018 às 10:43

    A FREQUÊNCIA DE JOGOS COMO TITULAR E O TEMPO NA EQUIPE SÃO FATORES INTERVENIENTES NA PERCEPÇÃO DE COESÃO DE GRUPO NO CONTEXTO DO FUTSAL DE ALTO RENDIMENTO?

    [addtoany]

    Este estudo investigou se a frequência de jogos como titular e o tempo na equipe são fatores intervenientes na percepção de coesão de grupo de jogadores de futsal de alto rendimento.

    Frequency of matches as starter and team time are intervening factors on group cohesion perception in the high performance futsal context?

    José Roberto Andrade do Nascimento Júnior1, Carla Thamires Laranjeira Granja1, Eliakim Cerqueira da Silva1, Diego Rubinakes Amorim1, Daniel Vicentini Oliveira2, Lenamar Fiorese Vieira3.

    RESUMO

    Este estudo investigou se a frequência de jogos como titular e o tempo na equipe são fatores intervenientes na percepção de coesão de grupo de jogadores de futsal de alto rendimento. Fizeram parte da pesquisa 301 atletas (25,48±4,90 anos), representantes das 19 equipes participantes da Liga Nacional de Futsal 2013. Como instrumentos foram utilizados o Questionário do Ambiente de Grupo (GEQ) e um questionário semiestruturado. Para a análise dos dados utilizou-se o teste de Kolmogorov-Smirnov, Kruskal-Wallis, “U” de Mann-Whitney e a correlação de Spearman (p<0,05). Os resultados demonstraram que os atletas titulares e que estão na equipe há mais de um ano se percebem mais envolvidos individualmente (Atração Individual para o Grupo-Tarefa) com as metas da equipe (p<0,05). Verificou-se correlação significativa (p<0,05) e positiva para os atletas que sempre jogam como titulares do tempo na equipe com a Integração para o Grupo-Tarefa (r=0,40) e a Atração Individual para o Grupo-Tarefa (r=0,27), e para os atletas que nunca são titulares do tempo na equipe com a Atração Individual para o Grupo-Tarefa (r=0,30). Conclui-se que a estabilidade dos jogadores dentro da equipe (titularidade e tempo na equipe) é um fator interveniente no envolvimento do atleta com as metas da equipe no contexto do futsal de alto rendimento.

    Palavras-chave: Ambiente de grupo; Psicologia do esporte; Atletas.

    ABSTRACT

    This study investigated whether the frequency of matches as starter and the time in the team are intervening factors in the group cohesion perception among high performance futsal players. The subjects were 301 athletes (25.48±4.90 years), representatives of the 19 teams participating in the National Futsal League 2013. The instruments were The Group Environment Questionnaire (GEQ) and a semi-structured questionnaire. Data analysis was conducted through Kolmogorov-Smirnov, Kruskal-Wallis and Mann-Whitney tests and Spearman’s correlation (p<0.05). The results showed that starters and who were in the team for more than a year perceived to be more individually involved (Individual Attraction to Group-Task) with team’s goals (p<0.05). There was a significant (p<0.05) and positive correlation of time within the team and Group-Integration Task (r=0.40) and Individual Attraction to Group-Task (r=0.27) for athletes who always played as starters. For those who are never starters, time within the team correlated with Individual Attraction to Group-Task (r=0.30). It is concluded that stability of the players within the team (starter and time within the team) is an intervening factor in the athlete’s involvement with the team goals in the of the high performance futsal context.

    Keywords: Group environment; Sport Psychology; Athletes.

    SOBRE OS AUTORES

    1. Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina/PE, Brasil,
    2. Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA), Maringá/PR, Brasil,
    3. Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá/PR, Brasil.

    Autor correspondente:

    José Roberto Andrade do Nascimento Júnior,
    Universidade Federal do Vale do São Francisco,

    Av. José de Sá Maniçoba, S/N – Centro, CEP: 56304-917 – Petrolina/PE.

    E-mail: [email protected]

    Deixe um comentário