Volta para o Início

PSICANÁLISE LACANIANA

262x166

A história da psicanálise é uma experiência de transmissão que envolve diversas leituras e correntes teóricas. Nesse curso, tomaremos como referência a Escola Francesa, com ênfase “na retomada da singularidade do discurso psicanalítico, empreendida pelo ensino de Jacques Lacan” (Roudinesco, 2009, p. 7). Jacques-Marie Émile Lacan foi um psiquiatra e psicanalista francês que situa sua principal contribuição no retorno que faz à obra de Freud, buscando tomá-la ao pé da letra na retomada dos seus conceitos fundamentaiDeste retorno à obra de Freud, Lacan destaca a linguagem como instrumento e fundamento da psicanálise, afirmando ser o inconsciente estruturado como uma linguagem. Nesta formalização se articulam às noções de sujeito, de desejo e de gozo. Surge, então, as formulações sobre a topologia, sobre os registros Real, Simbólico e Imaginário, como instâncias do psiquismo, que se enlaçam de determinada forma a constituir as singularidades. Com isso, Lacan propõe uma forma diferente de pensar a subjetividade e as estruturas clínicas: neurose, psicose e perversão.
Das construções sobre a topologia, Lacan direciona seu ensino e sua clínica para o Real, registro do psiquismo que se situa em um lugar êxtimo, um dentro e fora ao mesmo tempo, evidenciando uma prática do saber-fazer com o que nos é radicalmente singular – a letra de gozo.
Da travessia da fantasia à um saber-fazer com o gozo, do sintoma ao sinthome, a psicanálise, na transmissão de Jacques Lacan, aposta na sustentação de uma autoria como construção de um estilo.

Disponível nas Unidades

Clique sobre a cidade para obter mais informações sobre o curso.