Volta para o Início

Pós-Graduação > Semipresencial

DEPENDÊNCIA QUÍMICA COM ÊNFASE EM COMUNIDADES TERAPÊUTICAS

Início em 10/04/21
240x112
O uso nocivo de álcool e drogas vêm se tornando, nas últimas décadas, um problema endémico de saúde pública no Brasil e no mundo, problema para o qual parece não existir estratégias capazes de diminuir efetivamente sua incidência e seus agravos, não somente no que diz respeito à saúde do usuário, mas também, e principalmente, a todo o contexto familiar, social, político, econômico e legal que permeia o assunto.
De acordo com o Relatório Mundial sobre Drogas da United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC, 2019) aproximadamente 250 milhões de pessoas no mundo, ou uma de cada 20 pessoas com idade entre 15 e 64 anos, usam drogas ilícitas. Destas, cerca de 29,5 milhões (quase 12%) usam drogas de forma problemática e apresentam transtornos relacionados ao consumo de drogas, incluindo a dependência, havendo uma incidência anual de aproximadamente 190.000 mortes prematuras devido ao uso de drogas no mundo. Este mesmo relatório aponta que o custo econômico social decorrente do uso de drogas ilícitas é de aproximadamente 1,7% do Produto Mundial Bruto.
De acordo com o relatório sobre álcool e saúde da Organização Mundial da Saúde - OMS (WHO, 2018) o consumo nocivo de álcool provocou 3 milhões de mortes (5,3% de todas as mortes) e foi o primeiro fator relacionado com o DALY (disability-adjusted life year), indicador internacional que significa "expectativa de vida corrigida pela incapacidade" ou "expectativa de vida saudável", e indica o número de anos que um indivíduo pode esperar viver de forma saudável, sem limitações ou incapacidades. O uso nocivo de álcool foi também a 7ª causa de anos de vida perdidos, dados que evidenciam como o álcool tem se tornado o maior problema de saúde pública mundial, problemática de muito maior gravidade do que o consumo de todas as substâncias ilícitas juntas.
Em âmbito nacional, segundo pesquisa realizada em 2012 pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas - INPAD junto com a Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, Brasil é o maior mercado mundial de cocaína/crack, correspondendo a 20% do consumo mundial da substância. A pesquisa ainda mostra que quase 3 milhões de pessoas no Brasil são usuários de cocaína/crack (LARANJEIRA, 2014).
Em sua etiologia, o uso nocivo de substâncias já foi compreendido de diversas formas durante a história, desde uma perversão de caráter até um problema meramente biológico, sabendo-se hoje que é um problema multifatorial, que precisa ser abordado numa multiplicidade de linhas de cuidado, articuladas e complementares (RIBEIRO; LARANJEIRA, 2016; RIBEIRO, 2012a; MARQUES, 2001), dentre as quais podem ser destacados os serviços de regime residencial, com promoção de ambientes livres de álcool e drogas ilícitas, assim como os serviços de regime ambulatorial, com critérios de adesão de menor exigência, que não consideram a abstinência como critério de ingresso e permanência, que se norteiam pelas estratégias de redução de danos (NIDA, 2018; BRASIL, 2001).
No que diz respeito ao tratamento da dependência química, o National Institute of Drug Abuse (NIDA), um dos principais institutos de pesquisa sobre drogas do mundo, afirma que não há uma única forma de tratamento que seja apropriada para todas as pessoas e que, para ser efetivo, o tratamento deve contemplar todas as necessidades e peculiaridades do indivíduo, sejam estas médicas, psicológicas, sociais, profissionais ou legais (NIDA, 2018).
De acordo com isto, o Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), em texto aprovado na reunião da Assembleia Geral de 23 de março de 2018, afirmou que é fundamental que o problema mundial das drogas receba um olhar integrado entre diferentes áreas do conhecimento, como saúde, segurança pública, assistência social, justiça, entre outros, que devem realizar intervenções com responsabilidade compartilhada (UN, 2018).
Isto evidencia a necessidade de construir estratégias eficazes de cuidado para os dependentes químicos, considerando a necessidade de incluir todas as formas possíveis de atendimento, muito além de ideologias e partidarismos.
Segundo o NIDA (2018), o tratamento, para ser eficaz, deve estar disponível, ou seja, ser de fácil acesso, já que a motivação para o mesmo tem uma duração curta no dependente químico. A pesquisa do UNODC (2017) mostra que apenas 1 em cada 6 dependentes químicos que precisam de tratamento no mundo conseguem acessar um programa, sendo que na América Latina esta proporção é de 1 para cada 11 pessoas. Também mostra que estes programas estão mais disponíveis nas grandes áreas urbanas, em detrimentos das regiões rurais ou interioranas.
Estes dados evidenciam como a formação de qualidade na área da prevenção do uso indevido e nocivo de drogas, assim como nos cuidados, tratamento e reinserção social de pessoas com problemas decorrentes do uso de substâncias psicoativas (drogas lícitas e ilícitas).
Este curso apresenta o problema do uso de drogas de forma clara e didática, desprovida de moralidades e partidarismos, elementos que tanto prejudicam a compreensão objetiva da dimensão real deste.
Neste cenário, as Comunidades Terapêuticas, equipamento que existe no Brasil há meio século, e que segundo levantamento da SENAD em 2014, atende praticamente 80% da demanda de cuidado em regime residencial, aparecem como pontos estratégicos de atenção em meio à toda a problemática descrita.
Porém, devido à falta de regulamentação por muitas décadas, a distorção do nome e do método de Comunidade Terapêutica no Brasil é evidente, o que agrava ainda mais o quadro apresentado, já que muitos dos locais que se autodenominam Comunidades Terapêuticas no Brasil em nada se assemelham as verdadeiras Comunidades Terapêuticas, muitas vezes apresentando práticas ilegais, irregulares e mesmo iatrogênicas.
Por isso a ênfase desta Especialização tem como foco aprimorar e estruturar a ação dos inúmeros profissionais que já atuam nestes dispositivos, a fim de que possam cada vez mais atingir os resultados esperados assim como contribuir com o fortalecimento e melhor definição do que é uma Comunidade Terapêutica de fato.
Os docentes são profissionais com longa atuação prática no campo, o que outorga ao curso maior e melhor aplicabilidade de todos os conteúdos apresentados, já que um dos grandes desafios desta área é poder traduzir o conteúdo teórico numa prática profissional adequada e eficaz.
Focado em profissionais de todas as áreas que já atuam ou buscam atuar nesta área, este curso oferece as ferramentas teóricas e vivenciais necessárias para imprimir maior segurança e efetividade ao seu manejo diário.
Matrículas abertas Início das aulas em 10/04/21
Duração 520 Horas

Nível Especialista
Taxa de Inscrição R$ 160,00
Ver investimentos VER EMPRESAS CONVENIADAS
  • DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR (MÓDULO ON-LINE)
  • GESTÃO DE PROJETOS E PROCESSOS (MÓDULO ON-LINE)
  • GESTÃO E EMPREENDEDORISMO (MÓDULO ON-LINE)
  • LIDERANÇA E FORMAÇÃO DE EQUIPES (MÓDULO ON-LINE)
  • METODOLOGIA CIENTÍFICA (MÓDULO ON-LINE)
  • PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (MÓDULO ON-LINE)
  • SEMINÁRIO DE PESQUISA (MÓDULO ON-LINE)
  • SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL (MÓDULO ON-LINE)
  • O CONSUMO DE DROGAS NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE: UM DILEMA MORAL
  • O CONSUMO DE DROGAS NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE: ASPECTOS ANTROPOLÓGICOS, SOCIOLÓGICOS E CULTURAIS
  • CLASSIFICAÇÃO E EFEITO DAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS LÍCITAS E ILÍCITAS
  • EPIDEMIOLOGIA DAS DROGAS NO BRASIL E NO MUNDO
  • NEUROCIÊNCIAS APLICADAS À DEPENDÊNCIA QUÍMICA
  • PSICOPATOLOGIA E COMORBIDADES NA DEPENDÊNCIA QUÍMICA
  • A COMPREENSÃO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA NA ABORDAGEM COMPORTAMENTAL
  • A COMPREENSÃO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA NA ABORDAGEM COGNITIVO-COMPORTAMENTAL
  • A COMPREENSÃO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA NA ABORDAGEM PSICODINÂMICA
  • MODELOS DE TRATAMENTO E FINANCIAMENTO PÚBLICO
  • INTERVENÇÕES COGNITIVO-COMPORTAMENTAIS NO CONTEXTO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA
  • PRINCÍPIOS ÉTICOS E ABORDAGENS EM DEPENDÊNCIA QUÍMICA
  • DEPENDÊNCIA QUÍMICA E REDUÇÃO DE DANOS
  • CENÁRIO NACIONAL E INTERNACIONAL DAS POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS
  • HISTÓRICO DAS CTS NO BRASIL E NO MUNDO
  • CONCEITO DE CT, BASES METODOLÓGICAS, GARANTIA DE DIREITOS E TRABALHO EM REDE
  • LEGISLAÇÃO DE CTS NO BRASIL
  • CONSTRUÇÃO DO PROJETO TERAPÊUTICO E DO PLANO DE ATENDIMENTO SINGULAR
  • PREVENÇÃO DO ABANDONO DO TRATAMENTO
  • BOAS PRÁTICAS: ATIVIDADES DIÁRIAS, FUNÇÕES DA EQUIPE
  • BOAS PRÁTICAS: TRIAGEM, PRONTUÁRIOS
  • O USO DA TECNOLOGIA COMO RECURSO NA COMUNIDADE TERAPÊUTICA
  • REINSERÇÃO SOCIAL E PREVENÇÃO DA RECAÍDA

*A pós-graduação já contempla a certificação extra e você recebe um certificado a mais, sem custo!

Diferenciais

240x112

Autorizado pelo MEC

CNE/CES 01/07 Garantia e Segurança para a sua formação.

240x112

Estrutura Diferenciada

Pensada para oferecer o melhor para o seu conhecimento.

240x112

Produção e Publicação de Artigos Científicos

Base Científica reforçando sua Formação.

240x112

Professores de Referência

Referência e Conhecimento Prático dentro de sala de aula.

Mais Informações

HORÁRIO DAS AULAS:

Quinta: 20h às 22h

On line: Sábado: 08h às 12h
Presenciais: Sábado: 08h a 12h e 14h a 18h.

  • Assistência Social
  • Educação Física
  • Enfermagem
  • Medicina
  • Psicologia
  • Terapia Ocupacional
  • Todos os Profissionais da área da Saúde

Coordenadores

Professores