24-jul-2019 às 15:01

Autismo é incluído no censo do IBGE

Na última quinta-feira (18) o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei 13.861/2019 que determina a inclusão de dados com informações sobre pessoas com Transtorno do Espectro Autismo (TEA) no Censo de 2020 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O objetivo é direcionar as políticas públicas e os recursos de forma correta aplicando-os em prol dos autistas.
O presidente assinou a sanção ao lado de sua mulher, Michelle Bolsonaro, que tem trabalhos direcionados a pessoas com deficiência, e do apresentador Marcos Mion, pai de um menino autista. O apresentador disse que a questão vem sendo defendida há algum tempo. Segundo ele, os autistas são uma comunidade praticamente invisível e ter o autismo incluído no censo é uma forma das pessoas com o transtorno se sentirem representadas.
Sendo assim, os censos demográficos realizados a partir de 2019 incluirão as especificidades referentes ao transtorno do espectro autismo. A inclusão de perguntas sobre o autismo no censo ajudará a determinar quantas pessoas no Brasil apresentam esse transtorno e como elas estão distribuídas pelo país.
O autismo é um problema psiquiátrico que costuma ser identificado na infância, entre 1 ano e meio e 3 anos, embora os sinais iniciais às vezes apareçam já nos primeiros meses de vida. Os autistas apresentam o desenvolvimento físico normal, mas têm grande dificuldade para firmar relações sociais.
Por afetar o sistema nervoso, o alcance e a gravidade dos sintomas podem variar consideravelmente. Os sintomas mais comuns incluem dificuldade de comunicação, dificuldade com interações sociais, interesses obsessivos e comportamentos repetitivos. O critério de diagnóstico baseia-se na capacidade de um indivíduo realizar atividades simples. De acordo com a classificação atual, há quadros leves, moderados e severos.
A estimativa é que existam 70 milhões de pessoas no mundo com autismo, sendo 2 milhões delas no Brasil. Esse número poderá sofrer grandes alterações com as perguntas aplicadas no questionário do Censo do IBGE.

Deixe um comentário