20-abr-2020 às 18:29

Fisioterapeuta Intensivista

Compreenda a função fundamental deste profissional no combate à pandemia A Fisioterapia Intensiva é uma especialidade reconhecida pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito). É uma atividade ligada a pacientes em estado crítico – é o fisioterapeuta intensivista quem realiza a manutenção da assistência ventilatória, a reintegração funcional, além de intervenções terapêuticas em […]

Compreenda a função fundamental deste profissional no combate à pandemia

A Fisioterapia Intensiva é uma especialidade reconhecida pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito). É uma atividade ligada a pacientes em estado crítico – é o fisioterapeuta intensivista quem realiza a manutenção da assistência ventilatória, a reintegração funcional, além de intervenções terapêuticas em pessoas que estão com diversas disfunções de sistemas orgânicos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Neste sentido o fisioterapeuta intensivista desempenha um importante papel no combate às pandemias, como esta da COVID-19, pois possui a função de contribuir e diminuir os sintomas ocasionados pela doença.

O presidente da Faculdade Inspirar e doutor em Medicina Física, Dr. Esperidião Elias Aquim, explica que “o fisioterapeuta intensivista atua em várias áreas, que vão desde a participação na equipe multidisciplinar prestando assistência ao paciente grave, até condutas de terapia para remoção de secreção brônquica e melhora da função respiratória”. Neste sentido, são fundamentais na recuperação e tratamento de pacientes com síndrome respiratória aguda.

No caso específico da COVID-19, é o fisioterapeuta intensivista quem faz o gerenciamento da ventilação mecânica, invasiva e não invasiva. Além de outros aspectos como: avaliação e realização da titulação de oxigênio, rápida saída do paciente do ventilador mecânico, prevenção de complicações pulmonares por meio de manobras e técnicas específicas, e aplicação de manobras motoras com o intuito de reduzir incidências de agravos relacionados à permanência na UTI.

A expectativa é que o Brasil gere um crescimento de 20% no número de leitos de UTI. E após o surto do coronavírus estes leitos permanecerão abertos. E, se o país já tinha a necessidade de profissionais especializados em Terapia Intensiva, certamente essa demanda será ainda maior. “Essa nova realidade vai exigir cada vez mais profissionais altamente preparados e com experiência na área”, explica Dr. Esperidião.

A Faculdade Inspirar, que nasceu da especialização em fisioterapia cardiorrespiratória, já formou mais de 800 profissionais intensivistas nesses 23 anos de história. “Quando passamos por situações assim, de pandemia, é que reforçamos ainda mais a importância do ensino de qualidade, de sermos referência na área, pois muitos dos profissionais que estão atuando em todo Brasil hoje são nossos alunos, ex-alunos e professores”, salienta o presidente do Grupo Inspirar.

16-abr-2020 às 11:01

Gestão Hospitalar

Entenda a importância dos profissionais da área no combate à pandemia A COVID-19 promoveu uma drástica mudança nos hospitais brasileiros e fomentou a reorganização das instituições de saúde. É neste quesito que se faz tão necessária a presença de gestores hospitalares. É indiscutível a importância do administrador hospitalar para a gestão de pontos específicos e […]

Entenda a importância dos profissionais da área no combate à pandemia

A COVID-19 promoveu uma drástica mudança nos hospitais brasileiros e fomentou a reorganização das instituições de saúde. É neste quesito que se faz tão necessária a presença de gestores hospitalares. É indiscutível a importância do administrador hospitalar para a gestão de pontos específicos e comuns a qualquer organização, tais como pessoas, custos, processos, finanças, logística, compras e tecnologias.

No entanto, muitos hospitais no Brasil não possuem gestores hospitalares e são administrados por médicos e enfermeiros. Os profissionais de gestão hospitalar são de extrema importância para as instituições de saúde, pois são os responsáveis pelo desenvolvimento de atividades que adequam o funcionamento dos hospitais, oferecendo condições físicas, materiais e humanas aos médicos e enfermeiros para que desenvolvam com eficiência suas funções.

Os hospitais são organizações complexa e exigem muita competência dos gestores, pelo fato de haver características específicas que as diferem de outras organizações, sendo apontada como uma das estruturas organizacionais mais complicadas para se administrar. É por este e outros motivos que os gestores hospitalares enfrentam todos os dias diversos desafios e, claro, a pandemia intensificou ainda mais. Neste sentido é muito importante possuir uma equipe de funcionários qualificados para organizar todo o funcionamento do hospital.

São esses profissionais que se preocupam com toda a equipe de saúde, distribuem materiais necessários para proteção individual como máscaras, luvas, aventais, óculos, bem como materiais de proteção especial para procedimentos invasivos.

A especialização e formação profissional dos gestores das instituições hospitalares são fundamentais. A pandemia fez crescer a necessidade de gestores hospitalares bem preparados e prontos para atuar no mercado. Neste sentido a Inspirar é referência, pois o curso de Gestão Hospitalar da faculdade é considerado o melhor curso do Brasil! Venha se preparar para o futuro conosco. Saiba mais: https://www.inspirar.com.br/gestao-hospitalar/

16-abr-2020 às 10:15

Excelência em Franchising

Pela quarta vez consecutiva a Faculdade Inspirar recebe o Selo A Associação Brasileira de Franchising – ABF concedeu à Faculdade Inspirar a chancela de sua marca pela quarta vez consecutiva e a premiou com o Selo de Excelência em Franchising (SEF) 2020, que é a principal honraria do mercado de franquias brasileiro. O prêmio é […]

Pela quarta vez consecutiva a Faculdade Inspirar recebe o Selo

A Associação Brasileira de Franchising – ABF concedeu à Faculdade Inspirar a chancela de sua marca pela quarta vez consecutiva e a premiou com o Selo de Excelência em Franchising (SEF) 2020, que é a principal honraria do mercado de franquias brasileiro.

O prêmio é de extrema importância e incentiva ainda mais a Faculdade Inspirar a continuar seu projeto de expansão ousado, sem perder a sua essência, que é a qualidade no ensino como fator principal.

Neste ano o prêmio chega à sua 30ª edição. O objetivo da premiação é refletir o quanto as redes de franquias no Brasil têm se desenvolvido, buscando alcançar o mais elevado nível de eficiência em suas operações e na relação com seus franqueados. O evento tradicional de premiação foi cancelado devido às preocupações com a COVID–19, assim, a Faculdade Inspirar receberá o troféu em sua sede. Para o vice-presidente de franchising do Grupo Inspirar, Ricardo Carneiro, a chancela é “a prova de que a faculdade é um ótimo negócio para se investir, visto que consegue manter a qualidade no ensino e uniformidade em sua estrutura em todas as regiões do país, levando a educação de qualidade para as mais diversas cidades e trazendo excelente retorno para seus investidores”, conclui.

O Grupo Inspirar é a maior e melhor franquia de cursos de pós-graduação e extensão do Brasil, presente em 19 estados, em todas as regiões do país.

13-abr-2020 às 23:23

COVID-19 faz aumentar a necessidade de leitos e de profissionais capacitados na área da Saúde

A velocidade em que avança a transmissão do novo COVID-19 é assustadora e preocupa as autoridades de saúde, pois o sistema hospitalar não é capaz de amparar todos os pacientes que contraírem a doença se o pico for grande e simultâneo. Contudo, o Ministério da Saúde (MS) está buscando medidas para ampliar os leitos de […]

A velocidade em que avança a transmissão do novo COVID-19 é assustadora e preocupa as autoridades de saúde, pois o sistema hospitalar não é capaz de amparar todos os pacientes que contraírem a doença se o pico for grande e simultâneo.

Contudo, o Ministério da Saúde (MS) está buscando medidas para ampliar os leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e equipamentos essenciais ao tratamento de pacientes, como respiradores.

O MS calcula ter 27,4 mil leitos de UTI no Sistema Único de Saúde (SUS) e 46 mil respiradores na rede pública. De acordo com dados divulgados pelo órgão, no total, o Brasil tem 55,1 mil leitos e 65.411 respiradores, somando as redes pública e privada.

Ainda assim o número é baixo e é uma das maiores preocupações das autoridades de saúde para combater a pandemia. A Associação de Medicina Intensivista Brasileira (AMIB) afirma que o Brasil precisa aumentar em 20,2% os leitos de UTI para adultos. Atualmente existem cerca de 14,8 mil leitos de UTI disponíveis no SUS, dos quais 14 mil estão ocupados – esse número representa 95% dos leitos.

Diante dos dados, o Ministério da Saúde informou que está em processo de locação de 3 mil leitos de UTIs volantes de instalação rápida, além da distribuição de 540 leitos para os 26 estados e o Distrito Federal, atendendo solicitação dos secretários estaduais de saúde.

A expectativa é que o Brasil gere um crescimento de 20% no número de leitos de UTI. E após o surto de covid-19 estes leitos permanecerão abertos, aí entra uma outra grande questão: o aumento no número de leitos reflete na maior necessidade de fisioterapeutas e enfermeiros em Terapia Intensiva, Central de Materiais e Cardiorrespiratória. Essa demanda nas UTIs certamente exige (e vai exigir ainda mais do mercado) profissionais altamente preparados e com experiência na área.

09-abr-2020 às 11:00

Profissionais Autônomos

Como enfrentar a recessão econômica O isolamento social e a legislação, que obrigou o fechamento de estabelecimentos que não são considerados essenciais, instituiu um grande desafio às pequenas e médias empresas. O professor da Faculdade Inspirar Altair Turbay Junior, que é consultor sênior de comportamento e gestão financeira, disse que essa recessão não é tão […]

Como enfrentar a recessão econômica

O isolamento social e a legislação, que obrigou o fechamento de estabelecimentos que não são considerados essenciais, instituiu um grande desafio às pequenas e médias empresas.

O professor da Faculdade Inspirar Altair Turbay Junior, que é consultor sênior de comportamento e gestão financeira, disse que essa recessão não é tão inédita: o Brasil já estava passando por uma crise econômica e a pandemia só aumentou o processo de recessão. “Não é possível mudar a situação em que estamos vivendo, mas existem maneiras de lidar com ela e, na minha opinião, o melhor é manter a disciplina, a organização e o planejamento para o futuro, mesmo que você não esteja atuando em seu negócio”, diz Altair.

Sem poder trabalhar, com fornecedores e funcionários para pagar, os microempreendedores encontram-se em uma situação delicada e muitos deles não sabem o que fazer. A questão do momento é como sobreviver a tudo isso e o principal é: manter o seu negócio após o surto de coronavírus. Sendo assim, listamos algumas dicas que podem auxiliar a passar pela recessão:

· Controle sua ansiedade e nervosismo;

· Seja disciplinado em relação aos seus negócios;

· Tente manter a mesma rotina que você tinha quando ia trabalhar, pois isso ajuda muito no planejamento da sua empresa;

· Realize um estudo sobre a sua empresa e sobre o profissional que você é;

· Planeje seus próximos passos;

· Use e abuse da divulgação nas redes sociais;

· Tente renegociar suas dívidas com os credores;

· Faça acordos com seus funcionários.

Segundo Altair, o ideal é fazer um diário de planejamento semanal da sua empresa, mesmo com esse processo de recessão, visto que escrever o que tem de ser feito ajuda a clarear as ideias e dá pistas do que deve ser melhorado.

Outra dica para lidar com essa situação é utilizar uma ferramenta muito disseminada nos cursos de Administração – a Análise Swot, que significa: Força, Oportunidade, Fraqueza e Ameaça. Altair explica como avaliar essas condições. “As forças e fraquezas estão relacionadas ao negócio e às oportunidade e ameaças dizem respeito ao mundo lá fora. Por exemplo, uma oportunidade durante esse período de recessão é se conectar às redes sociais e promover uma ampla divulgação de sua empresa, seus serviços e produtos. Os profissionais autônomos devem fazer de suas redes sociais vitrines virtuais para seus estabelecimentos”, afirma.

Ele ressalta que os profissionais autônomos possuem a fraqueza de não estarem dispostos à inovação e que a vivência nas redes sociais é uma ótima

saída para anunciar sua empresa de forma segura, sem sair de casa e o melhor: sem ter que investir dinheiro.

“É possível que as empresas se beneficiem e tirem um bom proveito dessa fase, uma das dicas é realizar um estudo sobre o seu negócio, pois com isso você consegue entender os caminhos necessários para o seu planejamento. Sendo assim, é possível que as empresas se beneficiem durante essa recessão, uma vez que os empresários acabam descobrindo outras maneiras de trabalhar”, conclui.

Caso você seja micro e pequeno empreendedor e precise de mais dicas ou queira saber sobre como ter acesso a financiamentos e limites de crédito, acesse o site do Sebrae: https://www.sebrae.com.br/

07-abr-2020 às 09:44

Comprometimento na Quarentena

Professores da Faculdade Inspirar dão exemplo e concluem seus estudos Em meio à pandemia do coronavírus, que resultou na suspensão das aulas, as escolas, faculdades e demais instituições de ensino tiveram que se reinventar – para isso estão utilizando a tecnologia e a internet como forma de comunicação e meio de transmissão de conhecimento. A […]

Professores da Faculdade Inspirar dão exemplo e concluem seus estudos

Em meio à pandemia do coronavírus, que resultou na suspensão das aulas, as escolas, faculdades e demais instituições de ensino tiveram que se reinventar – para isso estão utilizando a tecnologia e a internet como forma de comunicação e meio de transmissão de conhecimento.

A Faculdade Inspirar não ficou de fora dessa e como está sempre inovando, durante a quarentena está ofertando aos seus alunos aulas ao vivo, que possibilitam interação entre os alunos de graduação e seus professores, além da aplicação de atividades avaliativas e trabalhos. Para os alunos de pós-graduação as aulas ofertadas na modalidade em EaD, obrigatórias da grade curricular, podem ser feitas antecipadamente, além de poderem fazer uma disciplina a mais e substituir a mesma pelo Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Mas estudar dentro de casa, de forma online ou com aulas remotas, não é nada fácil – é preciso ter muito foco e disciplina para não cair nas armadilhas do mundo virtual e acabar perdendo tempo em redes sociais ou em outros aplicativos.

Os nossos professores Anselmo Gonçalves e Ana Paula Maciel, que também são alunos do mestrado e doutourado, respectivamente, estavam na fase final de seus estudos quando a pandemia se instalou. Sendo assim, a única forma de apresentar seus trabalhos de conclusão foi de maneira remota, e eles nos contam como foi essa experiência:

O professor Anselmo apresentou a dissertação sobre “Governança corporativa, competências técnicas e comportamentais necessárias ao auditor interno”. Ele diz que já está acostumado a usar ferramentas online de interação por meio de vídeo, e por este motivo não encontrou dificuldade para apresentar seu trabalho. “A sensação de apresentar o trabalho online é muito bacana. A distância entre eu e a banca examinadora me deixou mais calmo e achei que foi até melhor do que talvez fosse presencialmente, pois a apresentação online me possibilitou mais liberdade para fazer algumas anotações, além do conforto – consegui falar sentado, coisa que se fosse na forma presencial não seria possível, no meu ponto de vista foi mais tranquilo”, afirma.

Já a professora Ana Paula, que apresentou a tese sobre: “As ações locais na busca pela sustentabilidade à luz da teoria de Axel Honneth: uma necessária leitura crítica do direito”, relata que teve dificuldades. “Eu fiquei bem nervosa. Nunca havia feito videoconferência, ou utilizado quaisquer desses recursos de forma compartilhada. Para mim foi um grande desafio lidar com toda essa tecnologia de uma hora para outra. Mas no decorrer da apresentação consegui ficar mais confiante e ver os benefícios dessa forma de interação”, salienta.

Ambos tiveram que se adaptar para não deixar suas obrigações de lado, mesmo durante o isolamento social. Apesar das dificuldades, contratempos e novos

aprendizados, suas apresentações foram um sucesso e os dois foram aprovados.

Eles deixaram um recado de estímulo aos seus alunos para que não deixem de fazer as atividades que lhe são propostas. “Em primeiro lugar precisamos ter em mente que estamos todos diante de uma circunstância que não foi escolhida por ninguém. Todos nós estamos tendo que nos reinventar. Agora é a hora de desacelerarmos, sermos mais pacientes com o processo. Estamos diante de uma incógnita. Não está nas mãos de ninguém a decisão de sair desta situação. Então, o que precisamos agora é de tranquilidade e confiança naqueles que estão se desdobrando para fazer o melhor para todos nós. Recomendamos que aqueles que têm maior facilidade com a realidade digital, auxilie quem não tem. Quanto ao conteúdo, nós estamos seguindo o cronograma normal do curso, estamos disponibilizando todo o material e fazendo nossos encontros online. Na prática, o que está sendo feito não é nada diferente do que já fazíamos, só que agora com novos instrumentos. E essa é a beleza do aprendizado. Um passo de cada vez. Vejamos o lado positivo disso tudo, seguimos em frente, logo tudo isso passará e poderemos retomar a normalidade de nossas vidas. Um grande abraço”, finalizam.